sábado, 4 de maio de 2013

Perfumes LOW COST (genéricos)



Sou rapariga de ZARAS, de feiras e de chineses.
Há várias lojas em que nunca entro - nem curiosidade tenho - e esta selecção é logo feita pelos preços apresentados na montra. Há marcas (de consumo habitual por muito boa gente da chamada classe média) que me escandalizam - é certo que eu não preciso de muito para ficar escandalizada: sapatos acima de 100 euros, escandalizam-me, malas acima de 50 euros, escandalizam-me... e com a roupa é a mesma coisa. Estou convicta de que "não é a etiqueta que faz o monge"!
Prefiro roupas baratinhas e a renovação, sem peso na consciência, mais frequente. Há pechinchas liiiiindas e eu sei que, mudando etiquetas, enganaria muito boa gente que diz optar pelas marcas XPTO (caríssimas) porque "têm muita qualidade e não se estragam" - Sim, sim...! (Não tenho umas Merrell).

Há tempos, decidi experimentar este princípio com os chamados perfumes genéricos... Entrei num site e, de facto, a diferença de preços era tentadora, pelo que encomendei de imediato 3, já que, assim, pouparia ainda uns trocos nos portes.
À primeira "cheiradela" são iguais - "impressionante como paguei pouquíssimo!"... Infelizmente, com o uso, já não posso dizer o mesmo: o cheiro que predomina é a álcool, vai-se embora a fragrância rapidamente e, o pior, é que nem se fica com "ausência de cheiro" - porque aí, teria remédio - voltar a pulverizar; fica mesmo um cheiro nauseabundo a álcool (?) quase de precisar de recorrer ao nausefe.

Não querendo estragar o negócio a ninguém: é um produto que NÃO RECOMENDO.

Os 3 que tenho em casa estão a ser utilizados - não foi dinheiro posto fora - servem de ambientador para as casas de banho e, para isso, são excelentes.

1 comentário:

  1. Também sou menina de low-costs. Quantidade acima da qualidade. Assim dá para fazer mais renovações de guarda/roupa em menores espaços de tempo. ;)

    ResponderEliminar

O que se diz por aí...