sábado, 31 de julho de 2010

Pudim à moda da Salomé

Vou fazer agora. A última receita que ela me deu, foi sucesso à primeira.
Este, teoricamente, faz-se em menos de 10 minutos.

É assim:

2 natas
1 pacote de pudim jell-o
pacote de bolachas chip
"Syrup" de caramelo.

Mãos-à-obra.

Meeeeeeddooo

Muéeeeeeeeeeeeee!
Ontem vi a 2ª barata do Verão, bem no meio da minha salinha tão fofa e linda.
Muéeeeeeeeeee!!
Estava o Tozé a tentar caçá-la, mas o raio da gaja escondeu-se debaixo do móvel.
Que pânico.

- Senhores do Continente, das entregas ao domicílio:
                - Por favor descarreguem cá em casa a carrinha cheia de tudo o que tiverem de "mata-baratas" - pó, spray, "ratoeiras", espuma - tudo, quero mesmo tudo (nem que todo o subsídio de férias vá para isso.)

Muito obrigadinha. Nós agradecemos.

(Qual é que seria o prejuízo se se exterminassem todas as baratas do Mundo?)

domingo, 25 de julho de 2010

PEDRO ABRUNHOSA - O que ainda não foi feito.

Sei que me vês


Quando os teus olhos me ignoram
Quando por dentro eu sei que choram
Sabes de mim
Eu sou aquele que se esconde
Sabe de ti, sem saber onde


Vamos fazer o que ainda não foi feito


Trago-te em mim
Mesmo que chova no verão
Queres dizer sim, mas dizes não
Vamos fazer o que ainda não foi feito
E eu sou mais do que te invento
Tu és um mundo com mundos por dentro


E temos tanto pra contar


Vem nesta noite
Fomos tão longe a vida toda
Somos um beijo que demora
Porque amanhã é sempre tarde demais
E eu sei que dói
Sei como foi andares tão só por essa rua
As vozes que te chamam e tu na tua
Esse teu corpo é o teu porto, é o teu jeito


Vamos fazer o que ainda não foi feito


Sabes quem sou, para onde vou
A vida é curva, não uma linha
As portas que se fecham e eu na minha
A tua sombra é o lugar onde me deito


Vamos fazer o que ainda não foi feito


E eu sou mais do que te invento
Tu és um mundo com mundos por dentro
E temos tanto pra contar
Vem nesta noite


Fomos tão longe a vida toda
Somos um beijo que demora
Porque amanhã é sempre tarde demais


Tens uma estrada
Tenho uma mão cheia de nada
Somos um todo imperfeito
Tu és inteira e eu desfeito
Vamos fazer o que ainda não foi feito


E eu sou mais do que te invento
Tu és um mundo com mundos por dentro
E temos tanto pra contar
Vem nesta noite
Fomos tão longe a vida toda
Somos um beijo que demora


Porque amanhã é sempre tarde demais
Vem nesta noite


Fomos tão longe a vida toda
Somos um beijo que demora


Porque amanhã é sempre tarde demais
Porque amanhã é sempre tarde demais
Porque amanhã é sempre tarde demais


                               Porque amanhã é sempre tarde demais

sábado, 24 de julho de 2010

O meio

O meio:

- para uns:
o princípio;
- para outros:
o fim.

(Ou simplesmente apenas o meio);

O meio:
- para uns, o fim.

Escolhas

Embrulhada numa nuvem de alcatrão.
Camuflada entre os cristais mais ínfimos de um basalto - vejo olivina e feldspato de cálcio; têm o meu tamanho - são gigantes que dizem que não vou conseguir.
Para mim, o fim é aquele - só posso escolher o tamanho da pedra.

Afinal, sabemos tão pouco...




Já toda a gente ouviu falar do fenómeno, de qualquer forma, fica aqui o registo... Surpreendente, no mínimo, para quem estudou Genética... Há coisas assim.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

A Festa vai começar

Já cantava a Ana Faria e os seus rebentos:

" Limpa o pó que tens no fato e aperta o teu sapato
Anda ver se o teu cabelo é preciso pentear;
Estica a meia, aperta o laço, dá-me a mão ou dá-me o braço,
Vê se já está tudo pronto
A festa Vaaaaaiiiii Co-me-çar ".

Espelho meu, espelho meu (cozinha minha, cozinha minha...)

... Haverá algum armário de tupperwares mais desarrumado do que o meu?!